Vacinação, gripários e testagem: o que pode ser feito para evitar um colapso na saúde após explosão de casos de Covid no país.

O Brasil está vivendo uma nova onda de infecções de Covid-19, com vários estados registrando casos de superlotação nas unidades de pronto atendimento.

O Brasil está vivendo uma nova onda de infecções de Covid-19, com vários estados registrando casos de superlotação nas unidades de pronto atendimento. Nesta sexta-feira (7), o país registrou 53,4 mil casos por Covid em 24 horas. 

04/01/22: UPA do bairro Belo Horizonte, em Mossoró, registrou aumento de mais 300% nos atendimentos de pacientes com sintomas gripais. — Foto: Isaiana Santos/ Intertv Costa Branca

Na cidade de São Paulo, uma estimativa da prefeitura aponta que o número de casos de síndrome gripal com confirmação laboratorial para Covid-19 pode ser o dobro do registrado no pico da pandemia de coronavírus, em abril de 2021, recorde até então. Em Belo Horizonte, os leitos de enfermaria para Covid-19 no SUS chegaram à lotação máxima

Além da Covid, o país vive um aumento de casos de gripe. No Distrito Federal, unidades de saúde seguem lotadas de pessoas com sintomas gripais, em busca de testes e tratamento. A situação se repete em outras regiões. Em Mossoró (RN), a procura por atendimento cresceu mais de 300%. Em Florianópolis, há relatos de pessoas que passaram até 24 horas na fila para atendimento.

O Consórcio Conectar, que representa mais de duas mil cidades brasileiras, pediu apoio ao Ministério da Saúde para reforçar a estrutura de atendimento na rede de saúde

Mas o que o governo precisa fazer para evitar novos colapsos no sistema de saúde? Especialistas apontam cinco pontos importantes para que o SUS não fique sobrecarregado com a nova onda de infecções: Do G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.