Presidente pode receber título de cidadão honorário de vilarejo italiano onde nasceu seu bisavô. Mas políticos locais, religiosos e ativistas condenam honraria.

A câmara de vereadores de uma pequena cidade no norte da Itália deverá votar nesta segunda-feira (25) uma proposta para conceder o título de cidadão honorário ao presidente brasileiro, Jair Bolsonaro.
A homenagem, porém, gerou polêmica e declarações de indignação por parte de políticos locais, ativistas e até grupos religiosos, num momento em que o líder brasileiro é acusado de crimes contra a humanidade e outros delitos pela CPI da Pandemia no Senado.


A ideia de conceder o título a Bolsonaro partiu de Alessandra Buoso, prefeita de Anguillara Veneta, um pequeno município de apenas 4 mil habitantes localizado na região do Vêneto.

A cidade a 80 km de Veneza é terra natal de um bisavô do presidente.


Buoso defendeu que a homenagem não tem motivação política. “Pensei nas pessoas do meu país que migraram para o Brasil e construíram uma vida até chegar à Presidência, levando o nome de Anguillara Veneta para o mundo”, disse a prefeita em entrevista à agência de notícias italiana Ansa na semana passada.


Questionada sobre os crimes imputados a Bolsonaro pela CPI da Pandemia, a política italiana justificou que não estava ciente das acusações. O relatório final da comissão no Senado brasileiro foi apresentado na última quarta-feira, mesmo dia em que Buoso assinou a proposta.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.