Prefeito de Tuntum pretende gastar mais de Meio Milhão com materiais gráficos em apenas doze meses

O prefeito do município de Tuntum, Fernando Pessoa (PDT), pretende gastar R$ 640.579.25 (seiscentos e quarenta mil, quinhentos e setenta e nove reais e vinte e cinco centavos) em apenas 12 (doze) meses com empresa para prestação de serviços de confecção e fornecimento de materiais gráficos para atender, segundo ele, às necessidades da prefeitura municipal de Tuntum.

A empresa com sede na Rua Abílio Monteiro, bairro Engenho, município de Pedreiras, é de propriedade da senhora Vanessa Curvina Chaves Freitas e o número de telefone que consta, é de Tuntum.

Na manhã desta segunda-feira (11), foi constado no Diário Oficial Eletrônico, três publicações em uma mesma edição com Erratas de Contrato da empresa VC Chaves Freitas EIRELI, ambas as publicações com valores altíssimos. Claro, a gente sabe que ratificação é alteração, porém, o que causou estranheza foram as três ratificações e não constava mais na edição publicada.

Erratas com valores superior a R$ 600 mil, R$ 300 mil e R$ 5 mil foram publicadas no Diário Oficial Eletrônico.

O primeiro extrato com errata do contrato foi publicado e o valor superava os R$ 600 mil reais, e tinha como objeto o fornecimento de materiais gráficos para atender as demandas da prefeitura de Tuntum.

Extrato de ratificação/ Valor R$ 640.579,25

Um segundo extrato de ratificação de contrato foi publicado, o valor superava os R$ 5 mil reais. Também constava como objeto do contrato a prestação de serviços de fornecimento de materiais gráficos também para atender as demandas da prefeitura de Tuntum.

Extrato de ratificação / Valor R$ 5.050.00

Para a surpresa dos que acompanhavam o Diário Oficial Eletrônico, uma terceira errata de extrato de contrato foi publicada, desta vez com o valor superior aos R$ 300 mil reais.


Extrato de ratificação / Valor R$ 335.332,50

O que população gostaria de saber, é para que tanto investimento em matérias gráficos e qual a finalidade de usar tanto dinheiro público. Se não for perguntar muito, por qual motivo a publicação não consta mais na edição que foi publicada ?

E cadê o PORTAL DA TRANSPARÊNCIA?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.